Você já teve algum sintoma físico após uma discussão ou decepção?

O corpo reflete nossas emoções tão certo quanto dois e dois são quatro. Existem pessoas mais resistentes, mas a maioria sente no corpo o resultado das próprias emoções.

Podem ocorrer vários sintomas, mas hoje falaremos dos três mais comuns:

1 – Dor de Estômago – Não aceitação.

Quando algo nos desagrada, geralmente sentimos uma pontada no estômago, um desconforto, dor ou até náusea.

A região abdominal é considerada um dos principais centros energéticos do corpo. É justamente onde se produzem as emoções básicas: raiva, medo, alegria, atração, aversão e outras. Quando é produzida uma emoção, sentimos no estômago.

A digestão está relacionada na metafísica com a maneira como digerimos as situações da vida e determina nossa disposição para aceitar as situações.

Quando não aceita a situação em que vive, você não se aceita. Quando não há aceitação de sua parte, representa não estar de bem consigo.

A negação das sensações provocadas por uma situação qualquer da vida leva a pessoa a ficar remoendo e engolindo sua própria raiva. Esse comportamento faz com que a produção de sucos gástricos seja aumentada, e sem haver alimentos para serem digeridos, passam a agredir a parede do estômago e pode-se dizer que a pessoa está se corroendo.

A persistência nesse padrão de comportamento pode provocar algum problema mais grave, tal como uma gastrite ou até mesmo úlcera. A gastrite é a incerteza prolongada.

Se sua situação financeira não está boa, por exemplo, é porque, até então, você se encontra adoecido na área de autovalorização e do merecimento.

Para que você possa reverter esse quadro, é necessário não se envergonhar com o pouco que você conquistou até agora. Quando isso ocorrer, haverá uma melhora financeira e você irá conquistar o que tanto almeja na vida. Quando você mexer em sua estrutura interna, as oportunidades se abrirão e você conquistará novas coisas e obterá o sucesso e a prosperidade. E assim com qualquer área da vida.

2 – Resfriado – Medo de mudanças, falta de confiança.

Os casos de gripe geralmente ocorrem durante algum tipo de mudança. Podem não ser transformações significativas, basta ser uma situação inusitada, em que você se atrapalha para adaptar-se a nova dinâmica, ou ainda a simples perspectiva de mudança que o deixa amedrontado.

A maior agravante nessas situações é o apego ao passado. Isso impede que a pessoa se dedique ao novo, permanecendo ligada às atividades corriqueiras. Esse procedimento é desgastante para o físico e o mental, causando uma baixa resistência, e consequentemente torna-o vulnerável ao contágio da gripe.

Quando a gripe se instala em seu organismo, demonstra que você está atravessando ou acabou de passar por um período de muita confusão interior. Esse estado é um somatório de pequenas coisas com as quais você não tem habilidade para lidar. Acaba por atropelar-se, querendo resolver tudo ao mesmo tempo. Não consegue manter uma dinâmica coerente com sua capacidade, extrapola os limites e fica estressado.

As pessoas “gripáveis” ou constantemente afetadas pelo vírus da gripe são as que se contagiam facilmente com a negatividade alheia, gerando uma atmosfera de pessimismo e derrotismo. Seu despreparo e falta de habilidade em lidar com a situação é que as tornam vulneráveis aos outros e, consequentemente, ao contágio do vírus.

A gripe surge como a expressão do desejo inconsciente de fuga, é um álibi perfeito para você se afastar das situações desagradáveis e conflitantes do cotidiano, já que a enfermidade requer repouso.

Fortaleça sua mente. Sempre que vier a incerteza e o medo, mude o pensamento e o foco. Faça visualizações de você mesmo na situação ideal, até conseguir produzir uma certeza interior. Cada pessoa tem uma opinião e uma negatividade ou positividade de acordo co suas experiências de vida, mas geralmente são diferentes das nossas. Então, procure não se contaminar, lembre-se é apenas uma opinião.

3 – Infecção de Urina – Raiva, irritabilidade, frustração, culpa.

A infecção de urina geralmente está relacionada ao seu sistema nervoso, principalmente quando ficamos abalados com relação aos laços afetivos.

A relação amorosa não é o único fator metafísico associado ao sistema urinário, mas também todos os relacionamentos que tenham laços mais profundos, tais como a relação entre pais e filhos, irmãos e os demais membros da família que tenham uma convivência mais próxima, e até mesmo com os grandes amigos.

A maneira como a pessoa se relaciona é determinante para sua felicidade afetiva e, consequentemente, promove um bom funcionamento dos rins.

O relacionamento consiste em a pessoa sair do seu próprio mundo em busca do universo alheio. Essa trajetória em busca do outro, que é movida por aquilo que sente, faz com que a pessoa descubra a si mesma. Por isso, aquele que se abandona perante seus parceiros ou entes queridos perdem a conexão com sua própria essência, comprometendo o processo de integração consigo mesmo.

Os problemas renais estão diretamente ligados às dificuldades de relacionamento. Por trás de qualquer problema renal existe uma pessoa com grande dificuldade para estabelecer vínculos afetivos.

Como sugestão podemos enfatizar a melhora da autoestima. Você não deve perder sua identidade por estar se relacionando com uma outra pessoa. Esta outra pessoa tem que somar, não subtrair. Mentalmente repita para você mesmo “Está tudo bem na minha vida e no meu relacionamento, nós nos completamos e nos ajudamos mutuamente”.

Diante do poder da sua mente/emoção sobre seu corpo físico, ao surgir um conflito, um medo, uma raiva ou uma não aceitação, pare.

Relaxe o corpo e depois a mente, acalme-se.

Tire alguns minutos para você refletir o que está causando tudo isto, como te afeta e quais ações pode tomar para resolver a situação.

O que depender unicamente de você, faça! Mude!

O que não depender ou o que não puder modificar, aceite. Mesmo sendo difícil é um processo que precisa ser encarado para sua própria saúde física e mental.

Beijos

Selene Maglyat