Sua oração não está funcionando? Conheça o jeito certo de rezar.

Quando estamos numa situação difícil ou precisando resolver algum problema, pedimos, fazemos promessas, rezamos praticamente 24 horas por dia pedindo uma ajuda.

Nós fomos criados com este conceito da bíblia:

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.
Mateus 7:7-20

E é verdade, porém temos que pedir direito.

Quando você “pede” algo, por exemplo, um emprego, um namorado, uma cura, etc., é porque você NÃO TEM.

E quando nós rezamos pedindo algo, estamos emanando uma vibração de falta, de não ter aquilo que estou pedindo.

Você já conhece sobre a Lei da Atração, não é?
Tudo que vibramos (sentimos) atraímos de volta.

Sendo assim, o pensamento, a mente (o pedido) tem que estar alinhado com o sentimento (vibração). Não adianta eu dizer “sou próspera”, se dentro de mim me sinto sem recursos.

Agora, quando eu digo “sou próspera” (mesmo não sendo) e dentro de mim sinto que tenho todas as oportunidades do mundo, que sou grata e que a abundância flui, pronto. Eu materializo.

Então, o segredo é sentir que tem, antes mesmo de ter. Viver como se aquilo que você quer, já estivesse com você.

O Universo não responde às suas palavras, mas às suas vibrações. Quer saber o que está vibrando? Preste atenção aos seus sentimentos.

E qual é o jeito certo de rezar?

Gregg Braden1 no filme “Você pode curar sua vida”, nos conta este fato:

“No início dos anos 90 eu estava num vilarejo no Novo México, e naquela época aconteceu uma as piores secas de todos os tempos no deserto do sudoeste americano.
Um amigo me chamou e disse: “Gregg, gostaria de ir comigo a um lugar onde o véu entre os mundos é bem fino, um lugar para rezar para chover?”.
Eu disse “Claro que sim”.

Nos encontramos no local combinado. Caminhamos por um tempo naquele lindo deserto e chagamos a um círculo de pedra. Meu amigo tirou os sapatos e entrou no círculo. Fechou os olhos e saudou todos os seus ancestrais, apenas dizendo “Todos os meus ancestrais estão comigo agora” e ficou em silêncio.

Após 20 segundos, ele olhou para mim e disse: “Estou com fome, quer comer alguma coisa?”

Eu disse: “Claro, mas achei que ia rezar para chover…”

E ele disse: “Não, se eu rezar para pedir para chover, nunca choverá. Porque quando rezamos para alguma coisa acontecer, estamos apenas confirmando que aquilo não está acontecendo, e damos mais poder ao que queremos mudar”.

Eu: “Se você não rezou naqueles 20 segundos o que você fez?”

Ele: “Quando fechei os olhos eu senti o que sinto quando piso descalço na lama no nosso vilarejo. A lama está lá porque há muita chuva. Eu senti o cheiro que se sente quando a chuva cai nas paredes de barro de Pueblo. E senti o que se sente quando corremos pelo campo de milho, com o milho muito alto, porque choveu muito. E me senti muito grato e apreciei a chuva que já caiu”.

Quando realmente quiser algo, feche os olhos e imagine como você se sentiria se aquilo já estivesse na sua vida. Imagine os detalhes, traga o sentimento de satisfação e agradeça por JÁ ter conseguido.

Tudo o que vibramos, atraímos para nós. Se vibrarmos falta, teremos mais falta. Se vibrarmos abundância e gratidão, teremos mais abundância.

Quando fazemos pedidos em desespero e aflição, estamos vibrando desespero e aflição. Pare. Respire, visualize tudo o que você quer já acontecendo, traga o sentimento e agradeça.

Vamos experimentar?

Deixe aqui nos comentários a sua experiência.

Segue a indicação de dois livros que podem te dar mais detalhes:

O Efeito Isaías”, por Gregg Braden
“Segredos de um Antigo Modo de Rezar”, por Gregg Braden

Beijos ♥
Fernanda Filippini (Selene)

1 – Cientista é formado em geologia. Chegou a trabalhar como designer de sistemas informáticos em uma multinacional. Em meados dos anos 1990, Braden se interessou pelo estudo de culturas antigas e, também, desenvolveu um interesse pela espiritualidade. Não bastou muito tempo para mudar suas áreas de pesquisa. Com base em investigações seculares, ele costuma abordar em entrevistas, livros e palestras importantes tradições espirituais que só agora a ciência começa a dar credibilidade.