Muitas pessoas me mandam perguntas como estas: “Não sei qual é a minha missão? Não sei qual é o meu propósito de vida. Não me encontrei”, por isso trouxe este assunto hoje.

O que é o Propósito de Vida?

Primeiro vamos deixar claro uma coisa – a missão de vida nem sempre é algo grandioso, que vai revolucionar o mundo com um grande acontecimento. Pode ser apenas algo que possa fazer ligado a pessoas próximas ou ao seu trabalho.

Quando ouvimos as frases de autoajuda do tipo “trabalhe como que ama”, muitas vezes vemos isso como um jargão, e algumas vezes pensamos que é impossível.

Mas pense comigo, se você não gosta de contabilidade, como vai ser um bom contador? Se cada vez que tiver que fazer planilhas e mais planilhas, isto pode lhe parecer um peso que carrega nos ombros? Faz sentido?

Trabalhar com o que se gosta é colocar nossa alma no trabalho. É fazer com gosto, com leveza.

Já posso até ouvir os comentários: “mas o que eu gosto não dá dinheiro”. Bom se começar pensando assim vai ser difícil mesmo, porque já está esperando não ter retorno. Isto é apenas uma crença.

O importante é fazer com prazer, porque o dinheiro, o sucesso, vão ser consequências. O ganho material é super importante, eu sei, mas não pode ser o fator motivador da sua escolha.

Quando você faz algo que gosta, você vai se tornar bom naquilo e vai ter criatividade e motivação de melhorar cada vez mais. Logo, o sucesso vem.

Ok, tudo entendido. Mas e se eu não sei o que gosto de fazer? Não me encontrei ainda?

Imagine o propósito de vida, como um propósito de alma. Um propósito de alma é aquilo que deixa sua alma feliz, aquilo que alegra o seu coração.

Como descobrir?

Seguem algumas dicas:

  • Procure se lembrar de coisas que você fazia na infância, na juventude ou durante a sua vida, que te traziam alegria. Isto pode te dar pistas significativas, detalhes que podem falar muito do seu dom natural.
    Se você gostava de pintar e desenhar, não necessariamente precisa ser um artista, mas pode ser que tenha uma criatividade latente em você.
    Se você gostava de brincar de professora, pode ser que tenha o dom da comunicação e possa trabalhar com palestras.

  • Imagine que você tem todo dinheiro do mundo para se sustentar. Nesta situação, se tivesse que optar por trabalhar com algo, o que seria? (não vale dizer que só queria viajar e não fazer nada rsrsrs)

  • Quando você não tem nada para fazer, o que faz com seu tempo livre? Escreve, lê um livro? Livro do que? Estuda? Estuda o que? Quando eu trabalhava em um banco, qualquer tempinho que tinha livre eu estudava tarot. Sempre estava procurando formas diferentes de jogar, novos significados, etc.

  • Reflita sobre o que é que você faz bem e com prazer. Existe algo que faz com que seus amigos e familiares te procurem para pedir sua opinião?

  • Outra forma que pode te dar insights é pensar de que forma você pode contribuir com o mundo ou com as pessoas através do seu trabalho. Posso te dizer o que acontece comigo, eu vejo que com as minhas consultas, procuro incentivar as pessoas a descobrirem seu amor próprio e poder pessoal. Isso alegra meu coração.

  • Faça estes exercícios naturalmente, não se force, não tem que se uma busca desenfreada para saber o que veio fazer neste mundo. Deixe vir naturalmente.

  • Relaxe o corpo e a mente, respire fundo umas três vezes e volte a respiração normal. Só preste atenção na sua respiração, sem forçar. Perceba o ar que entra, e o ar que sai. Só isso, fique assim por algum tempo. O pensamento fugiu? Começou a pensar nas contas, no trabalho, na novela, ok, simplesmente volte a focar na sua respiração. Isto abre nosso campo sensorial para conexão com o Todo, com a fonte de tudo que é. Você pode ter uma intuição. Normalmente não acontece nas primeiras tentativas, a não ser que seja bem sensitivo, mas persista.

E o mais importante, se divirta no processo. Tudo que tem que ser leve, alegre e agradável. Deixe o Universo saber que está nesta busca, e logo ele retornará com respostas para você.

Beijos ♥
Fernanda Filippini (Selene)